terça-feira, 3 de setembro de 2013

           Edicão Extra do Panorama Político 2 (03/09)
 
Ilimar Franco
   
O Exército não quer
o "Auê da imprensa"

Os lobistas do  Exército conseguiram tirar o quórum da sessão de Comissão de Direitos Humanos que votaria requerimento para aprovar visita de um grupo de senadores e integrantes da Comissão da Verdade ao Doi-Codi, no Rio.
Em seguida, o ministro Celso Amorim (Defesa) chamou ao seu gabinete os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e João Capiberibe (PSB-AP) para tentar uma solução. "Não podemos criar um constrangimento para as Forças Armadas", disse Amorimn, ao lado do comandante do Exército, general Enzo Peri.
Por sua vez, o militar manifestou-se preocupado com "um auê da imprensa" no caso de o Exército permitir a visita. No fim, acertaram um protocolo para a ida ao Doi-Codi no próximo dia 12. A visita será feita por quatro senadores, dois integrantes da Comissão Nacional da Verdade e dois integrantes da Comissão Estadual da Verdade.
Mesmo assim, Randolfe avisou quevoltará a tentar aprovar requerimento na sessão desta quinta-feira no Senado. Sua intenção é impedir qualquer eventual tentativa de desistência por parte do Exército.
Ilimar Franco3.9.2013 11h47m 
   
EXÉRCITO NÃO QUER A COMISSÃO DA VERDADE
VISITANDO O DOI-CODI NO RIO DE JANEIRO
Os assessores parlamentares do Exército entraram em campo, nesta terça-feira, no Senado, para tentar impedir a votação de um requerimento do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), para que um grupo de senadores e os integrantes da Comissão da Verdade visitem as instalações do Doi-Codi, no Rio. Mas nenhum senador do governo aceitou, até o momento, assumir o desgaste de votar contra o requerimento. A votação está marcada para logo mais, às 11h30, na Comissão de Direitos Humanos, do Senado.
Ilimar Franco3.9.2013 10h10m

Unidade nacional
           O protesto contra a ação de espionagem dos EUA no Brasil une todos os partidos. Mas a oposição teme a vitimização da presidente Dilma. As autoridades avaliam que a bisbilhotice é geral e recrudesceu após os atentados de 11 de setembro (2001). Além de uma censura veemente, ninguém sabe ainda qual deve ser a reação brasileira, mas existe um consenso: é impensável qualquer posição de ruptura.

De volta ao passado?
Com a violação de telefonemas, e-mails e mensagens de celular da presidente Dilma, o Planalto pode reduzir o uso da tecnologia. O telegrama e o fax, obsoletos, podem voltar a ser usados. Há assessores propondo voltar à máquina de escrever, como fez a Rússia quando soube do monitoramento. O governo imaginava, desde que vazaram as primeiras informações, pelo ex-agente da CIA Edward Snowden, que a bisbilhotice dos EUA superava os documentos oficiais. O ministro José Eduardo Cardoso (Justiça) comentou, com dirigentes da oposição, que foi revelador a rejeição pelos EUA de um acordo bilateral que previa autorização judicial para o uso de escutas.

Os americanos devem estar espionando todo o mundo. É grave a informação de um negócio desses. Um relatório informa: no Brasil fizemos isso, no México fizemos aquilo...

Paulo Bernardo
Ministro das Comunicações

Fugindo do inimigo
A presidente Dilma usa dez contas de e-mail para se comunicar com assessores e ministros. Algumas delas não fazem a menor referência ao seu nome ou ao seu cargo. Há contas que ela utiliza para se comunicar com um único auxiliar.

Procura-se
O governador Cid Gomes (CE) está de saída do PSB. Hoje ele conversa com o deputado Paulo Pereira da Silva, do Solidariedade. Mas o presidente do PSD, Gilberto Kassab, já abriu seu partido e está confiante. O PSD vai apoiar a presidente Dilma e o Solidariedade vai ficar ao lado do candidato da oposição, o deputado tucano Aécio Neves (MG).

A alternativa
Os socialistas aguardam ansiosos a saída do partido da família Gomes, do governador Cid (CE) e do ex-ministro Ciro. Cantam em prosa e verso que a ex-prefeita de Fortaleza Luizianne Lins (PT) está com um pé dentro do PSB.

Papo de bola
Numa roda de conversa, ontem no Palácio da Alvorada, com dirigentes da CBF, o treinador da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, desejou “felicidades” à presidente Dilma no governo. Sua manifestação ocorreu depois que a presidente Dilma fez uma preleção sobre as dificuldades da seleção e “a necessidade de persistência e superação” para a conquista dos objetivos.

Caixeiro viajante
Na reunião com o presidente da China, Xi Jinping, quinta-feira, a presidente Dilma vai apresentar um pacote de facilidades para que os chineses participem das concessões de portos e ferrovias. A China é crítica do custo Brasil.

Olha ele aí
Não são apenas ministros que estão na mira dos americanos. Um dos alvos é o chefe de gabinete da presidente Dilma, Gilles Azevedo. Ele está com a presidente desde o governo Lula.

O vice Michel Temer reuniu os líderes do PT e do PMDB para tratar da pauta no Congresso. A ministra Ideli Salvatti está cuidando da saúde.



Ilimar Franco2.9.2013 22h30m
LÍDER DO GOVERNO CRITICA O VALE TUDO

Depois de reunir-se no final da manhã com a presidente Dilma Rousseff, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), vai subir à tribuna do Senado para protestar contra o "vale tudo" adotado pelo governo americano. Braga também conversou com os ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, e Celso Amorim, da Defesa, e vai protestar contra a "falta de respeito dos americanos com os acordos bilaterais e os internacionais.

- "Não podemos aceitar que a título de combater o terrorismo, os americanos atuem em benefício de seus interesses acessando e investigando informações do governo brasileiros, das empresas que atuam no país e dos nssos cidadãos - critica Braga.

O senador afirma que o governo brasileiro não aceita a invasão de sua soberania e de sua privacidade, ao mesmo tempo em que reconhece a importância de sua parceria com os Estados Unidos. O Brasil, segundo o líder, quer que os americanos respeitem a soberania nacional, dos cidadãos e das empresas brasileiras.



Ilimar Franco2.9.2013 12h17m
Crivella lidera pesquisa Ideia

O ministro Marcelo Crivela (Pesca) lidera a disputa pelo governo do Rio de Janeiro em pesquisa do Instituto Ideia. Na simulação em que o senador licenciado do PRB aparece, sua intenção de voto fica acima do candidato do PT, o senador Lindbergh Farias.

Numa pesquisa em que 25% dos entrevistados não sabem ou não responderam, Crivella obteve 19% das intenções de voto contra 17% de Lindbergh. O ex-governador e deputado, candidato do PR, Anthony Garotinho ficou com 14% e é seguido pelo candidato do PMDB, o vice-governador Luiz Fernando Pezão, com 12%. O ex-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, o vereador César Maia, candidato do DEM, fez 9%; e o candidato do PDT, o deputado Miro Teixeira, tem 4%.

A avaliação ótimo/bom da gestão do governador Sérgio Cabral está em 17,5%. Este índice indica que Cabral não se recuperou dos gigantescos protestos ocorridos em junho, nas principais capitais do país, e que no caso do Rio de Janeiro persistem, com manifestações nas proximidades da residência do governador. O Instituto Ideia fez 1.000 entrevistas entre os dias 23 e 26 de agosto. De acordo com a pesquisa os candidatos com menor rejeição são Pezão, Lindbergh e Miro..

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial