sábado, 21 de setembro de 2013

Kassab no Bandeirantes (21/09) - Ilimar Franco

       

        O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab avisou ao PSDB e ao PT que será candidato ao governo. O criador do PSD avalia: o eleitor paulista está cansado dos tucanos; e a gestão petista na prefeitura da capital não alavanca um candidato. Sobre suas chances, tem dito que venceu a eleição para a prefeitura contra Geraldo Alckmin e Marta Suplicy, em 2008. E lembra que tem jogo no segundo turno.

Nova linha de articulação
A presidente Dilma acertou com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) mudança no tratamento das divergências nos projetos de lei e Medidas Provisórias em debate no Congresso. A ministra começou a trabalhar para evitar que MPs e projetos cheguem à sanção com a necessidade de vetos. A orientação é negociar previamente solução para questões passíveis de atendimento. Ideli tem se reunido com líderes, relatores e parlamentares envolvidos nas negociações de cada um dos temas para tentar costurar um texto que não tenha necessidade de vir a ser vetado. Esse modelo já foi usado para bater o martelo nas propostas do Ato Médico e do direito de taxistas.

“O maestro do nosso campo político se chama Luiz Inácio Lula da Silva”

Fernando Pimentel
Ministro do Desenvolvimento, sobre o governador Eduardo Campos (PSB) declarar que ele é uma alternativa no campo político dos eleitores que elegeram Lula e Dilma para a presidência

Consertando os arroubos
O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), recebeu ligação do ministro Manoel Dias (Trabalho). Este pediu desculpas por ter citado, indevidamente, o nome de Aécio, ao ameaçar pôr a boca no trombone sobre mazelas do ministério.



Morreu na praia
O ministro demissionário Fernando Bezerra (Integração Nacional), foto, estava cheio de planos. Pretendia lançar em outubro o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional, estudo sobre as diferenças econômicas e sociais dentro de cada estado para melhor distribuir recursos. Usava como exemplo programa da União Européia.

Novo critério para vetos
Os petistas encontraram uma nova forma de evitar nomeações de aliados. Se o indicado não for alvo da Justiça, do Tribunal de Contas e da CGU, usam como argumento "notícia negativa na imprensa". A regra não vale para petistas.

A sorte está lançada
Líderes aliados do governo estão apostando que a decisão do PSB de deixar o governo pode virar um tiro no pé. A presidente Dilma não vai demitir nem pedir o cargo de ninguém. Nem do segundo escalão. Ela pediu ao ministro Fernando Bezerra (Integração) para ficar. Aí mora o perigo. Eventual atitude de quadros do PSB, de ficar no governo, vai afetar negativamente a imagem do partido.
Quero que me esqueçamO presidente da Nuclep (Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A), Jaime Cardoso, está desolado. Quer permanecer no cargo, mas foi indicado pelo presidente do PSB, Roberto Amaral, e pelo governador Eduardo Campos (PE).

Tempo mano velho
Com as dificuldades enfrentadas para a criação da Rede, do Solidariedade e do PROS, muitos deputados estão soltos no espaço à procura de uma legenda para pousar antes de 5 de outubro.

Aposentadoria.O ex-presidente da Câmara, Inocêncio Oliveira (PR-PE) anuncia nos próximos dias que não disputará mais eleições.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial