sábado, 19 de outubro de 2013

Panorama Politico (Ilimar Franco)

Ressentimento     
          O governador Sérgio Cabral e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, registraram, para a cúpula do PMDB, que o PT menospreza as votações que Lula e a presidente Dilma receberam no Rio. Dizem que Lindbergh Farias ainda tem que superar pendências judiciais. Acreditam que os eleitores vão julgar o governo e não o governador. E, garantem, que a candidatura de Luiz Fernando Pezão é irremovível.

Um conto de fadas?
A construção do cenário da campanha eleitoral, feita pelos tucanos, prevê a cooperação e não a disputa pelo segundo lugar, entre Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Na cabeça deles, os dois candidatos combatem juntos o governo petista. Portanto, dizem que "Aécio minar Eduardo seria como minar a oposição e a possibilidade de segundo turno". Tucanos e socialistas que apostam nesse embate estariam na contramão da luta política. A citação de experiências, ocorridas em eleições passadas, também não conta na montagem deste esquema, pois diferente de candidaturas passadas "eles (Aécio e Eduardo) são amigos". Quem viver, verá!

Beto Albuquerque, Márcio França e Roberto Amaral estão meio confusos com seu neo oposicionismo, e escolhem o alvo errado (Aécio Neves)

Marcus Pestana
Deputado federal e presidente do PSDB de Minas Gerais


Sem combinar com os russos
O ministro Aloizio Mercadante (Educação) não gostou da decisão do ministro Alexandre Padilha (Saúde) de negociar no Congresso, sem combinação prévia, a antecipação do Revalida dos médicos estrangeiros de seis para três anos.


Deu no 'Pravda'
O que pesou na decisão do ministro Aldo Rebelo, de atender a presidente Dilma, e permanecer no Ministério do Esporte, foi o cenário eleitoral. O PCdoB elegeu dois deputados federais em 2010: Aldo e Protógenes Queiroz. No ano que vem, seu partido terá outros três candidatos: Protógenes, o vereador Netinho de Paula (foto) e o ex-ministro Orlando Silva.

Mala pronta
O deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) entregou sexta-feira à Câmara o apartamento funcional que ocupava em Brasília. Aos mais próximos, diz que está esperando para fevereiro sua condenação no mensalão.

Derrota da esquerda
Os partidos identificados com a esquerda foram derrotados na Câmara na votação da reforma eleitoral. A maioria rejeitou emenda que limitava os gastos de campanha, que tinha o apoio de PT, PSB, PDT, PCdoB, PV e PSOL. Os partidos do centro à direita, que votaram para manter o teto liberado, ironizavam que a limitação funcionaria como um anabolizante para o 'Caixa 2'.

É o fim
A subcomissão de Direitos Humanos da Comissão de Cultura, criada como contraponto à Comissão de Direitos Humanos presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), foi extinta a pedido da Frente Parlamentar Evangélica.

Agora vai
PROS e Solidariedade estão formando bloco na Câmara, somando 44 deputados. A aliança se estende à eleição do Rio. Os dois partidos estão conversando com o que restou do PSB no estado para tentar fechar uma chapa ao governo.

A presidente Dilma vai a Belo Horizonte, na próxima quarta, inaugurar duas creches e contratar a construção de 40. Está de olho no voto feminino.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial