sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Panorama Político (Ilimar Franco)

Novos tempos
          O governo Dilma vai ampliar sua verba de publicidade destinada à internet no Orçamento de 2014. O planejamento prevê a ampliação para até 15%, do valor destinado à propaganda da Secom. O governo segue uma tendência de mercado de migração para a internet. Os protestos de junho, no qual as novas mídias e as redes sociais tiveram grande peso, influenciaram na definição.

Rio. Sucessão. Presidente Dilma.
A direção do PT não quer a presidente Dilma desfilando nos vários palanques à sua disposição no Rio. A ideia em debate é o da “presidente fazer o palanque dela e convidar todos os seus aliados a subir”. Estariam nesta situação Luiz Fernando Pezão (PMDB), Lindbergh Farias (PT), Marcelo Crivela (PRB) e Anthony Garotinho (PR). O governador Sérgio Cabral foi avisado que o PT não pode retirar sua candidatura, para superar a Síndrome de 1998, quando houve intervenção no estado. E já foi dito ao senador Lindbergh Farias que ele deveria dar graças de ser mantido. Na ótica do comando petista, o mais difícil é garantir sua candidatura e ele não deveria jogar isso fora.

Querem transformar o PMDB em sublegenda do PT com essa história de palanques duplos. Não vamos aceitar isso

Danilo Forte
Deputado federal (PMDB-CE)

Vetado
O acordo entre o PT e o PMDB no Espírito Santo faz água. O PT não aceita apoiar o senador Ricardo Ferraço. Sua participação na fuga de Roger Molina, da Bolívia, pesa. O PT quer que o ex-governador Paulo Hartung seja o candidato.


Magri faz escola
Ao discursar ontem em audiência pública no Senado, o ministro Guido Mantega (Fazenda) inventou uma nova palavra. Ele afirmou: “A quem beneficia essa retrocessão (sic)?”. A pergunta foi seguida de risada geral. Foi imediata a associação com o “imexível” criado pelo ministro do Trabalho no governo Collor Antônio Rogério Magri.

Ressentimento
São muitas as queixas no DEM. Reclamam que o candidato Aécio Neves (PSDB) não conversa com o conjunto do partido. E advertem que não basta apenas dialogar com o presidente do partido, José Agripino (RN), e o prefeito ACM Neto (Salvador).

O calo tucano
O candidato do PSDB, Aécio Neves, tem uma grande dor de cabeça no Rio Grande do Sul. O partido, que venceu por lá nas últimas três eleições presidenciais, teme ser contaminado pela péssima imagem da ex-governador Yeda Crusius. Por isso, o PMDB reluta em apoiá-lo e o PP namora com Eduardo Campos (PSB). Yeda não elegeu a filha vereadora em Porto Alegre.

Os comunistas
Tradicional aliado, o PCdoB fez três pedidos ao PT. Ele quer o apoio para as candidaturas de Flávio Dino ao governo do Maranhão, e de Perpétua Almeida (AC) e Inácio Arruda (CE) ao Senado. Perpétua está garantida. Inácio depende.

Os prefeitos querem mais
O prefeito Alexandre Cardoso (Duque de Caxias) organiza movimento para que a presidente Dilma inclua no programa de governo compromisso de ampliar as receitas dos municípios. Esta era uma das promessas da campanha de 2010.
O governador em exercício em Sergipe, Jackson Barreto, reclamou na cúpula do PMDB que não tem autonomia e que sofre com a patrulha do PT.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial