quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Panorama Político (Ilimar Franco)

Espelho, espelho meu
          O candidato do PT ao governo do Rio, Lindbergh Farias, está com os nervos à flor da pele. O PMDB anda comparando o petista a Eduardo Campos. Lindbergh também se apresenta como candidato de oposição, mas ainda hoje o PT é governo. Por fim, o PMDB, como foi feito com o governador Sérgio Cabral, espalha que negocia um acordo pelo qual o petista seria nomeado ministro. 
A carteirada
Durante almoço ontem no Palácio da Alvorada, o governo e a política não foram os únicos pratos saboreados pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma. Conversa vai, conversa vem, e Lula pediu maior agilidade para que fosse aprovada a autorização para funcionamento da TV do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, entidade que presidiu durante a ditadura militar. Na hora, Dilma pegou o telefone e ligou para o ministro Paulo Bernardo (Comunicações). Perguntou. Ouviu a resposta. Desligou o telefone. E informou ao seu antecessor que estava tudo encaminhado e que era apenas uma questão de dias a aprovação da criação da nova emissora.
A guerra do Iraque consumiu US$ 3 trilhões. Com esse dinheiro, seria possível levar programas de transferência de renda a 1,5 bilhão de pessoas durante dez anos

Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente da República, na solenidade pelos dez anos do Bolsa Família

‘Sonho meu’
O presidenciável Aécio Neves marcou reunião, hoje, com dirigentes do PSDB de Brasília numa casa de festas infantis chamada Jump Joy. O slogan do lugar é: “Viva este sonho intensamente. Tornamos real o que passa pela sua imaginação”.

 
Na pressão
O Planalto tenta impedir de todas as formas a votação, pelo Senado, do passe livre. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), quer votar o tema em dois meses. E o presidente da CCJ, Vital do Rêgo (PMDB), na foto, marcou audiência pública para a semana que vem. O Planalto diz que o projeto é “uma loucura” e que não há de onde tirar o dinheiro.

De volta à cena
Corre solto entre os tucanos e os aliados do presidente do PSDB, senador Aécio Neves, que o candidato do partido para suceder ao governador Antonio Anastasia é o ex-deputado e ex-presidente do partido Pimenta da Veiga.

Apertando os parafusos
A presidente Dilma convocou os ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Miriam Belchior (Planejamento) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) para uma reunião no sábado. O objetivo, segundo tecnocratas do Planalto, é conhecer a “narrativa estratégica” dos ministérios. Traduzindo: saber o que as pastas têm para entregar nos próximos quatro meses.

A tarefa
Para os senadores petistas, o ex-presidente Lula disse que vai se dedicar, nos próximos meses, à concertação dos partidos aliados nas eleições estaduais. E comentou, sobre sua saúde, que hoje ele tem segurança para percorrer o país.

A trégua
O comando do PMDB está tentando acalmar os ânimos dos líderes do partido nos estados em que há disputa com o PT. Ele teme pelo futuro, caso se mantenha o radicalismo na virada do ano. Avalia que o ano que vem pode ser tarde demais.

Na mesa a sucessão no Rio. A presidente Dilma e o governador Sérgio Cabral vão almoçar, na próxima semana, no Palácio da Alvorada.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial