terça-feira, 12 de novembro de 2013

Panorama Político (Ilimar Franco)





          O líder do PT, José Guimarães, não endossa o protesto do presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), contra o uso da urgência constitucional pelo Executivo. O petista prega o entendimento e adverte: “Uma crise vai cair no nosso colo, no colo da base e do Henrique Alves”. O petista ironiza lembrando que no primeiro semestre o bicho papão era o excesso de Medidas Provisórias e agora chegou a vez das urgências constitucionais.

Oposição avaliza protesto
Mas se os petistas não simpatizam com o protesto do presidente da Câmara, a oposição aplaude o desabafo de Henrique Alves. O líder do PSDB, Carlos Sampaio, concorda: “Ficamos reféns do Executivo, que tem o poder de paralisar a Casa”. O tucano reconhece que o uso de expedientes pelo Executivo para segurar o ritmo das votações da Câmara não é novidade, mas diz que o governo Dilma exagera. Para evitar a ampliação das arestas na base do governo, o PT está propondo um entendimento pelo qual nos próximos 40 dias, antes do recesso, a Casa vote: “Orçamento, Código de Processo Civil, reajuste dos Agentes Comunitários de Saúde e Marco Civil da Internet”.


As políticas sociais já não terão mais o peso que tiveram em eleições passadas. Elas já foram precificadas pelos eleitores

Aécio Neves
Presidente do PSDB e candidato à Presidência da República, sobre o Bolsa Família

Pressão dos trabalhadores
As centrais sindicais (CUT, Força Sindical e CTB) realizam protesto hoje. Querem que o governo Dilma aprove o fim do Fator Previdenciário e a correção da tabela do Imposto de Renda, para que quem ganha menos pague menos.


Não é mais aquele
A cantora Alcione acaba de descobrir que anda em baixa, no Ceará, um de seus expoentes, Ciro Gomes. No fim de semana, num show em Fortaleza, ela tentou fazer graça com a plateia. Lá pelas tantas, falou de Ciro Gomes, chamando-o de grande personalidade e grande referência da política cearense. Para sua surpresa, o público não gostou e vaiou.

A história se repete
O senador Roberto Requião (PMDB-PR) está anunciando que vai disputar a candidatura a presidente na convenção do partido. Requião fez o mesmo em 2010, mas venceu disparado o apoio à presidente Dilma tendo Michel Temer de vice.

O tamanho da divergência
As relações políticas entre o candidato do PSDB, Aécio Neves, e o ex-governador José Serra, se prestam a toda sorte de especulações. Mas um tucano, unha e carne de Aécio, não vê drama algum. Ele justifica: "Quando Napoleão invadiu Roma, o Papa fez cara feia. Quando soube disso, ele mandou perguntar: 'Quantas divisões o Papa tem?'. Quantas divisões o Serra tem?" .

O revisionismo
Analistas políticos registram como reviravolta a homenagem dos petistas ao ex-presidente João Goulart. O PT foi criado para ser uma negação do trablhismo, ao qual se referem como “populista”.

Melhorou, mas nem tanto
O governo festejou a redução da violência, mas o doutor em estatística da UFMG, Gustavo Lana, analisando o perfil socioeconômico do país, diz que o índice de assassinatos deveria ser de 9,5 por 100 mil habitantes e não os 24,3 registrados.

Os serristas defendem uma chapa puro sangue ao governo paulista. O vereador Andrea Matarazzo é o nome do grupo para vice de Geraldo Alckmin.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial