sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Panorama Politico (O Globo - Ilimar Franco)

O Senado paga a conta
O helicóptero da empresa de Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG), apreendido com quase meia tonelada de cocaína, foi abastecido com verba da cota de atividade parlamentar do pai no Senado. O ressarcimento de despesas de empresas de senadores ou de parentes até terceiro grau é proibida pelas normas da Casa. O Senado avalia pedir o reembolso desses gastos.

A atitude do PSDB
Os tucanos vão continuar batendo no que chamam de insinuações dos petistas no escândalo Alstom/Siemens. Mas dois dirigentes históricos do PSDB não descartam o eventual envolvimento de algum tucano. Nesse caso, para evitar um desgaste maior, eles sustentam que o partido tem que ser firme e expulsar, de cara, quem for culpado. “Se tiver, temos que ser rigorosos. Não devemos passar a mão na cabeça”, comentou um integrante do governo José Serra. Esses tucanos avaliam que seria um equívoco repetir a postura do PT, que sintetizam assim: negar os fatos e se solidarizar com aqueles que cometeram irregularidades julgadas pelo STF.

A Câmara não pode se transformar num puxadinho do Senado

Ronaldo Caiado
Líder do DEM na Câmara dos Deputados (GO), ao aprovar na CCJ o desmembramento da proposta do Orçamento Impositivo para que seja votado em separado o percentual da receita líquida da UNião destinada aos gastos com a Saúde

Batido o martelo
Escolhido pelo governador Jaques Wagner, com a chancela do ex-presidente Lula, o chefe da Casa Civil do governo estadual, Rui Costa (PT), será lançado hoje candidato na Bahia e chancelado amanhã pelo diretório regional petista.

Polivalente
Na primeira vez que o ex-presidente Lula cogitou lançar mão do empresário Josué Gomes da Silva, filho de seu vice José Alencar, foi para ser vice de Alexandre Padilha (PT) em São Paulo. Recuou: seria artificial. Hoje, no PMDB, Josué pode formar um duplo palanque para a presidente Dilma em Minas Gerais. Além de ser o vice de Fernando Pimentel (PT).

Fugindo da raia
Os partidos que fazem oposição ao governo do PSDB em Minas Gerais enfrentam um problema grave. Nenhum político de peso quer ser candidato ao Senado contra o goverrnador Antônio Anastasia. Vem aí um candidato picolé.

Rifando o PMDB do Rio
Integrantes da direção nacional do PMDB estão cogitando abandonar a candidatura do vice Luiz Fernando Pezão. Avaliam que se ele não decolar até março, o partido deve apoiar o senador Lindbergh Farias (PT). Eles comungam com os petistas que querem definir o candidato em março com base no nome melhor posicionado nas pesquisas e que tenha menor rejeição.

Porta arrombada
Em reunião com a presidente Dilma e os líderes governistas, na Câmara e no Senado, o ministro Guido Mantega (Fazenda) afirmou que os 27 estados, e as prefeituras, não vão cumprir a meta de fazer um superávit primário de R$ 47 bilhões.

‘Comportamento estudantil’
Na votação do fim do voto secreto, quando criticou os “demagogos”, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) explica que fazia referência aqueles deputados e senadores que abriram uma faixa que dizia: “Pelo fim do voto secreto”.
A secretária-geral da Mesa do Senado, a servidora Cláudia Lyra, vai concorrer. Ela é candidata a deputada federal pelo PMDB, em Brasília.
 





 
 

 

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial