quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A segurança na Copa (Ilimar Franco)


             As Forças Armadas terão uma força de contingência, com homens aquartelados, e prontos para a ação, em todas as cidades sedes de jogos da Copa. Esta entrará em campo em caso de falência da atuação dos governos estaduais para garantir a segurança pública. O Ministério da Defesa também atua para ampliar a integração com as polícias civil e militar. E nega que seja sua a proposta, de criar um ‘curralzinho’ para manifestações.

A sucessão, a Copa e os protestos
A oposição aposta em protestos durante a Copa, para criar embaraços para a presidente Dilma. Mas os estrategistas da campanha pela reeleição avaliam que estas manifestações afetarão o governo federal, mas também os governos locais. Eles lembram o efeito do levante, de junho de 2013, sobre o governador Sérgio Cabral (RJ). E apostam que parcela da opinião pública ficará contra esses movimentos. Especulam ainda que eles podem até transformar a presidente em vítima. Por fim, dizem aliviados que o pior cenário, o da surpresa, está afastado, devido aos eventos de junho último. E acreditam que o clima “Salve a Seleção” vai limitar o espaço dos radicais.

Eles querem que eu vá para a pasta do João Santana. Que eu segure a pasta do João Santana. Se for isso, acho muito bom

Paulo Bernardo
Ministro do Planejamento, ironizando, para integrante do comando da campanha da reeleição, o movimento de petistas para derrubá-lo do cargo

Fim das resistências
O PSB paulista foi ganho para a candidatura própria ao governo. Ontem, o vice do partido, Fernando Bezerra Coelho, acertou os ponteiros. Defensor do apoio ao PSDB, o deputado Márcio França, pode ser o candidato dos socialistas.

Reforço de caixa
As emendas impositivas engordaram o orçamento da Secretaria das Mulheres. A ministra Eleonora Menicucci terá US$ 13,1 milhões a mais para investimentos. A previsão inicial era de R$ 73,9 milhões de uma verba global de R$ 217 milhões. A bancada das mulheres, que representa 8% da Câmara, responde por 53% dos novos recursos.

Novo foco de divergência
Irritação no PMDB. O prefeito de Anápolis, Antônio Gomide (PT), anunciou que é candidato ao governo de Goiás. O principal aliado do governo Dilma contava como certo o apoio dos petistas ao seu candidato, Junior da Friboi.

Fidelidade só na TV
Os candidatos do PDT aos governos estaduais Pedro Taques (MT), Vieira da Cunha (RS) e Reguffe (DF) foram liberados para abrir seus palanques para os candidatos da oposição ao Planalto. O compromisso dos trabalhistas com a reeleição da presidente Dilma é garantir o tempo de TV do partido nas eleições presidenciais.

Correndo contra o tempo
Os deputados reagem contra os prazos e regras para liberação das emendas impositivas. As cidades contempladas com recursos devem ser indicadas até 10 de fevereiro. E os projetos executivos têm que ser entregues até 20 de março.

Redução de danos
O Fundo Global para o Meio Ambiente aprovou projeto da ministra Izabela Teixeira e vai liberar US$ 7,5 milhões para reduzir as emissões tóxicas da indústria siderúrgica. Esta é uma das metas aprovadas pela Conferência de Copenhague.

Como o tucano Aécio Neves, o socialista Eduardo Campos também está com dificuldades para construir um palanque no Rio de Janeiro.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial