domingo, 18 de maio de 2014

PANORAMA POLÍTICO (18) - ILIMAR FRANCO



    A avaliação da inteligência do governo é de que os protestos da “super quinta” foram um fracasso. Os radicais patrocinaram uma super fria, com quebra-quebra e saques, afastando os manifestantes comuns que foram para as ruas, em junho do ano passado, reivindicar melhores condições de vida e salários. Além do isolamento, a PF concluiu o mapa dos radicais e monitora seus movimentos.

Sob controle
As manifestações dos movimentos sociais e dos sindicatos não preocupam o governo. Dificilmente, vão adquirir o radicalismo dos policiais de Recife, vistos como uma exceção nesta onde de protestos sindicais.
Bases amplas: Para que te quero?
A oposição sempre questiona a amplitude da base parlamentar formada pelos governos. Os governistas (digamos) fiéis, no afã de terem mais cargos, também defendem a exclusão dos recalcitrantes. Sobre isso, quando era ministro, no governo Itamar Franco, Antônio Britto dizia que um governo precisa de uma base dilatada porque não pode contar com 100% dos seus em 100% dos casos. Por isso, qualquer governo precisa de gordura no parlamento. Sempre haverá aliados que votarão contra por discordarem de conteúdos ou porque estes desagradam seus eleitores. Ou então, porque os financiadores ou as autoridades regionais, que os sustentam, não concordam.
“As eleições conjuntas, à Presidência da República e aos governos estaduais, impedem que na maioria dos partidos seus quadros marchem unidos”

Francisco Dornelles
Senador (RJ) e presidente de honra do PP
As prioridades
O presidente Lula, de acordo com a direção nacional do PT, vai concentrar suas energias na reeleição da presidente Dilma e na candidatura de Alexandre Padilha para o governo paulista. Os petistas estão otimistas. Garantem que o drama do abastecimento de água já afeta o desempenho do governador tucano Geraldo Alckmin.
No garrote
Na conversa com Lula, o PMDB pediu que o PT controle seus candidatos no Rio e no Mato Grosso do Sul. Lindbergh Farias e Delcídio Amaral enfrentam peemedebistas. Reivindicou também, que os petistas apoiem Junior da Friboi em Goiás.
Tudo por 37'' na TV
O tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos disputam uma coligação com o PV. O PSB acena com o apoio ao candidato Verde ao governo paulista, Gilberto Natalini. Mas o presidente do partido, o deputado José Luiz Penna (SP), tem simpatia por uma aliança com Aécio e o governador Geraldo Alckmin.
 

O palanque
Depois de ciscar em todas as direções e flertar com alguns candidatos, o tucano Aécio Neves se rendeu à realidade. Nos próximos dias, ele deve anunciar que seu palanque no Rio será o do candidato do DEM ao governo, Cesar Maia.
Empurrando com a barriga
Os tucanos dizem que seu candidato ao Planalto, Aécio Neves, pode sair da convenção de 14 de junho, sem candidato a vice. O prazo legal para registrar a chapa é dia 30 de junho. A escolha pode ser delegada à Executiva Nacional.
Tem duas CPIs da Petrobras criadas, mas o ímpeto investigativo dos parlamentares, do governo e da oposição, arrefeceu. Muito barulho por nada.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial