quarta-feira, 28 de maio de 2014

PANORAMA POLÍTICO (28) - O GLOBO - ILIMAR FRANCO

São Paulo quer renovação
       Os eleitores nacionais querem mudanças. Aliados do governador Geraldo Alckmin (PSDB), baseados em pesquisa, relatam que metade dos paulistas também desejam renovação. E simpatizam com uma terceira via. Isso coloca no jogo Paulo Skaf (PMDB). Só não haveria espaço para um nome que venha a dar suporte à candidatura ao Planalto de Eduardo Campos (PSB).
A saturação dos eleitores
Os estrategistas dos candidatos a presidente estão tentando descobrir por que há um elevado (acima da média) número de indefinidos em São Paulo. Há quem atribua o fato à ausência de um candidato paulista ao Planalto. Desde 1989, será a primeira vez que estarão fora da disputa. Mas também há os que apostam na existência de um cansaço com o Fla x Flu, patrocinado por PSDB e PT. Analistas, olhando várias pesquisas, dizem que hoje há um equilíbrio (na margem de erro) no estado entre a presidente Dilma (PT) e Aécio Neves (PSDB). A esta condição chega Eduardo Campos (PSB) quando é conhecida a informação que Marina Silva é a vice de sua chapa.

Inflação de 3% ao ano só é possível com aumento de juros, redução de gastos públicos e investimentos, ampliação do superávit e desemprego

Humberto Costa
Líder do PT no Senado (PE)

RSVP
A guerra é pesada nas redes sociais. Foram criados no Facebook dois "eventos" com pedido de confirmação de presença: a despedida de Dilma, marcada para 5 de outubro; e a posse de Eduardo Campos, em 1 de janeiro de 2015.


O PT do Sarney
Nessa semana o PT enquadrou os petistas do Maranhão. O partido vai apoiar para o governo o senador Lobão Filho, candidato da família Sarney. Na próxima semana, será a vez dos petistas meterem a mão no Amapá. A petista Dorinha, candidata ao Senado, será formalmente substituída pelo senador José Sarney (PMDB).

Olha o passarinho
Durante o almoço do PP em apoio à reeleição da presidente Dilma, ontem, formou-se uma fila de deputados e dirigentes estaduais. Todos com celulares na mão, pedindo para tirar selfies com a presidente. Os de oposição não foram chamados.

Choro empresarial
Empresários pressionam o governo para mudar os índices de pagamento do Refis da crise. Querem a redução do valor da entrada, de 10% para 5% nas dívidas abaixo de R$ 1 milhão; e de 20% para 10, acima. Sustentam que é uma importante sinalização eleitoral. Ontem, governo rejeitou a proposta, mas não fechou a porta.

Pra frente Brasil
O Brasil deve brilhar na conferência da OIT, na semana que vem. Ela vai tratar de trabalho forçado. Ontem, o Senado votou a expropriação de propriedades que utilizem trabalho escravo. A nova lei brasileira é pioneira no mundo.

Aposentados na rua
Hoje será a vez dos aposentados invadirem a Esplanada dos Ministérios. Caravanas do Rio e de São Paulo vão a Brasília pressionar o STF para julgar processos que tratam das perdas da poupança nos planos econômicos dos anos 90.

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados vota hoje projeto que troca o nome da ponte Rio-Niterói de general Costa e Silva para Betinho.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial