sexta-feira, 6 de junho de 2014

Panorama Político (06) - O Globo - Ilimar Franco

Inflação? Que inflação?
O governo fará uma ofensiva para mobilizar mais pessoas a viajarem pelo país na Copa do Mundo, mostrando que não se comprovou a expectativa de que as passagens aéreas e os preços dos hotéis disparariam neste período. Na avaliação do governo, os preços praticados na Copa das Confederações influenciaram de forma negativa. O estímulo será dado para além das sedes dos jogos.

Com ou sem Dilma, 2015 será difícil
O debate que tem permeado as reuniões internas do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do governo é a preocupação com 2015. A avaliação geral dos conselheiros é a de que se, a presidente Dilma se reeleger, ela se manterá no cargo com enorme desgaste e com um clima de desconfiança quanto à política econômica. Se Aécio Neves (PSDB) ou Eduardo Campos (PSB) ganharem a eleição, na análise de integrantes do Conselhão, terão que tomar medidas fiscais não anunciadas na campanha, gerando insatisfação. A vitória da oposição reanimará movimentos sociais com atuação calma nos governo do PT, criando um ambiente difícil.

“Não é verdade dizer que está se criminalizando os pais que derem palmada em criança. Nenhum pai que dá uma palmadinha em uma criança causa lesão física a ela” 

Lídice da Mata 
Senadora (PSB-BA), sobre a Lei Menino Bernardo, aprovada quarta-feira

Vetado
O Palácio do Planalto fez uma consulta à Advocacia-Geral da União sobre o uso do slogan “País rico é país sem pobreza” na campanha da presidente Dilma à reeleição. A AGU proibiu porque foi concebido para uso governamental.



Vice inconveniente
A convocação do vice-presidente argentino Amado Boudou para depor na Justiça por tráfico de influência criou problema para Cristina Kirchner, que se preparava para assistir à final da Copa, a convite de Dilma, e ficar no Brasil para reunião da Celac. O depoimento será em 15 de julho e ela não quer que Boudou se explique no exercício do cargo.

Inflexível 
PT e aposentados chegaram a acordo sobre o fim da contribuição previdenciária num prazo de sete anos. O secretário-executivo da Previdência, Carlos Gabbas, levou a proposta ao Ministério do Planejamento e acabou desautorizado pela pasta.

Muito barulho por nada
A cúpula do PMDB não tem dúvida de que aprovará, na convenção, a reedição da aliança Dilma e Temer. Atribui a “rebelião” vendida por deputados ao fato de a bancada da Câmara se dar importância maior do que tem em votos. Um peemedebista fez as contas: são 20 deputados contra. Representam 10% dos convencionais.

Relações cortadas
Servidores do Iphan e do Ibram romperam com a ministra Marta Suplicy (Cultura). Um dia depois de ela prometer solução para a greve, entrou no STJ para acabar com a paralisação por liminar.

O que é isso, companheiro?
O PCdoB está incomodado com o PT do Ceará, que descartou o apoio à reeleição de Inácio Arruda ao Senado para lançar José Guimarães. Os comunistas devem indicá-lo à vaga na chapa do peemedebista Eunício Oliveira.

Contra-ataque. Peemedebistas estão organizando uma agenda de mobilizações pelo Rio com o Dilmão: presidente Dilma e governador Pezão.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial