domingo, 6 de julho de 2014

          A ministra Eleonora Menicucci (Mulheres) não concedeu audiência para Rose do Rio, presidente da Liga de Futebol Feminino. O ministro Manoel Dias (Trabalho) ainda está pensando. Ela quer entregar ao governo um abaixo-assinado que em 30 dias recolheu 20 mil assinaturas pela internet. E pede que a presidente Dilma envie projeto ao Congresso profissionalizando o futebol feminino. Hoje, cinco mil mulheres disputam campeonatos.
A profissionalização garante direitos trabalhistas, aposentadoria e dignidade. O futebol também é feminino. Ele precisa ser reconhecido

Rose do Rio
Presidente da Liga Brasileira de Futebol Feminino e ex-jogadora

O futuro pede passagem
A crise dos partidos, dos sindicatos, das associações e das entidades só está começando. A internet está retirando protagonismo dessas organizações e abrindo espaço para dar vida à iniciativa política de cidadãos comuns sem passar pela triagem dos gurus ou ter de ser amigo do Rei. Sites de abaixo-assinados, como a Change.org, Avaz, Petição Pública, Abaixo-Assinado.org e Ativismo estão destronando as velhas formas de fazer política. Um exemplo disso ocorreu agora, na Copa. Um abaixo assinado virtual, com cerca de 17 mil assinaturas, foi o suficiente para que a Fifa abrisse a Arena Fonte Nova (BA) para que as baianas do Acarajé vendessem a iguaria.

O peso da ferramenta
Há exemplos do êxito no uso deste instrumento. O MP de Santa Maria (RS) abriu inquérito contra a prefeitura no incêndio da boate Kiss, devido a petição com 27 mil assinaturas coletadas no site Change.org . A Assembleia paulista, recebeu petição com 70 mil assinaturas, e proibiu o uso de animais no estado para testar novos cosméticos.

Escalando o time
Cezar Alvarez será o interlocutor com os estados na campanha da presidente Dilma. Nos redutos de Aécio Neves (MG) e Eduardo Campos (PE) foram escolhidos, para coordenar, o ex-ministro Walfrido Mares Guia (foto) e o senador Humberto Costa, respectivamente. A primeira reunião com as coordenações estaduais será na terça-feira.

Homenagem ao trabalho
A filha de um operário que trabalhou na obra do estádio do Corinthians conseguiu, em três dias, pela internet, 80 mil assinaturas para erguer um monumento para os operários mortos ao levantar o Itaquerão. A proposta recebeu apoio do exterior.

Gosta de levar vantagem em tudo
O PT queria o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) apoiando seu candidato ao governo, Lindberg Farias. Agora, continuam cantando marra e dizem que é bom ele ter ficado, para dividir os votos evangélicos de Anthony Garotinho (PR).

Virou moda
No lançamento da candidatura de Gleisi Hoffmann ao governo do Paraná, a organização do evento tocou só a primeira parte do hino. Como nos estádios, os presentes continuaram cantando capela, incluindo a presidente Dilma.

Agulha no palheiro
O líder do DEM, Mendonça Filho (PE), propôs decreto legislativo para derrubar o decreto presidencial que cria os conselhos populares. Desde 1989, somente cinco dos 506 decretos legislativos foram aprovados pelos parlamentares.
O presidente do PT, Rui Falcão, está de mudança para Brasília. Para dar suporte político à campanha ele vai passar cinco dias da semana na capital do país.

Ilimar Franco 5.7.2014 11h30m
          O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, elegeu o Rio para seu QG eleitoral. Os programas para a TV serão gravados num estúdio carioca. As reuniões com o comando político da campanha e com o marqueteiro Paulo Vasconcelos também. Na escolha do candidato pesou a necessidade de ficar próximo da mulher, Letícia Weber, e ter mais tempo para os filhos gêmeos recém nascidos.
No mundo da bola
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, não esconde sua satisfação com os resultados da Copa no Brasil. Nas conversas de bastidores, ele reconhece que deu tudo certo e que a entidade exagerou em suas preocupações, que tiveram Jerôme Valcker como porta-voz. Ele também faz referência a uma grande vitória geopolítica da entidade com o Mundial. O Departamento de Estado dos EUA mudou seu horário de trabalho em função do jogo entre os Estados Unidos e a Bélgica, na última terça-feira. A presença de Dilma para entregar a taça não o surpreendeu. O troféu já foi entregue ao campeão pelo Rei Juan Carlos, por Angela Merkel, Jacob Zuma e Al Gore.
O futebol mexe com o planeta inteiro e a Copa do Mundo é o único fórum em que o Irã pode derrotar os Estados Unidos e não provocar uma guerra

Aldo Rebelo
Ministro dos Esportes
Sai PT para entrar o PSD
A direção do PT ameaça intervir no Amazonas. O partido quer lançar para o Senado o deputado Praciano, na chapa de Eduardo Braga (PMDB) para o governo. Mas o PT nacional acha melhor apoiar o ex-governador Omar Aziz (PSD).

Unindo o palanque
Candidato à reeleição, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) teve que fazer uma escolha. Seu candidato para o Senado, Cesar Maia (DEM), reagiu à candidatura avulsa de Carlos Lupi (PDT) ao Senado. Pezão fez as contas e concluiu que é melhor perder o PDT. Lupi foi colocado na parede. Ou desiste do Senado ou fica fora da coligação.

Cuidado com o tom
Os petistas da chapa de Lindberg Farias ao governo do Rio querem pacto de não agressão do deputado Romário (PSB-RJ) à presidente Dilma. Ameaçam não fazer campanha para o candidato ao Senado caso ele exagere nas críticas à petista.

Nas asas do Brasil
As partidas do Brasil e da Argentina são as que mais movimentaram os aeroportos na Copa. No jogo entre Brasil e Chile, o número de aeronaves nos terminais de Belo Horizonte foi 72% maior. O fluxo de jatinhos quase triplicou. No jogo entre Argentina e Nigéria, em Porto Alegre, o aumento foi de 23%. De voos fretados, o salto foi de 140%.
O que é bom tem que ficar
O aparato de segurança pública enviado a Fortaleza (CE) para a Copa continuará na cidade depois de encerrado o mundial. Ele fica até o dia 17 de julho, com a tarefa de garantir a segurança das autoridades presentes na reunião dos Brics.
Legado
O Centro de Comando e Controle de Segurança usado na Copa agradou a alta cúpula do governo. Casa Civil e Ministério da Justiça estão sistematizando a experiência para sugerir que seja permanente e adotada em todos os estados.
O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, assistiu ao jogo ontem , em Fortaleza, vestindo a camiseta da sua seleção. Ele foi reeleito no último dia 14.
Ilimar Franco 4.7.2014 11h30m
          A oposição navega no desejo de mudança, revelado pelas pesquisas, para fazer seu bolo crescer. Mas, ao interpretar essa tendência, Eduardo Campos (PSB) quer se diferenciar de Aécio Neves (PSDB). Segundo aliados, Campos deve reproduzir o discurso do PT e colocar em dúvida o compromisso de Aécio com as políticas sociais. Ele vai se apresentar como sendo a “mudança segura”, aquela que não ameaça as conquistas sociais.

Guerrilha nos bastidores do TCU
A convocação da presidente Dilma para justificar a aquisição da Refinaria de Pasadena, sugerida por auditores do TCU, ainda não chegou às mãos do ministro José Jorge, relator dos assuntos relacionados à Petrobras. Seus colegas no órgão auxiliar do Poder Legislativo não sabem dizer se ele irá encampar a proposta. Mas, se o fizer, isso somente ocorrerá se for aprovado pelo plenário do Tribunal. Os ministros, nomeados nos governos do PT, avaliam que a divulgação da sugestão, por auditores técnicos, tem objetivo eleitoral. Eles acham estranho propor que a presidente deponha após relatório técnico tê-la excluído da lista de responsáveis pelo negócio.
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor, vou torcer, sim! Vambora, Brasil!! A Hora é Essa!! A Hora é Hexa!! Axé

Arlindo Cruz
Compositor e sambista, em sua página no Facebook, em texto com o título “A Hora é (H)Ess(X)a”
Organizar a turma
O presidente do PT, Rui Falcão, fechou ontem os coordenadores estaduais da campanha pela reeleição da presidente Dilma. No Rio, será o vice carioca, Adilson Pires, e em São Paulo, o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.

Na carona
Vem aí a moeda Olímpica. Ela será lançada dia cinco de agosto pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Serão colocadas no mercado 20 milhões de moedas. Os Correios também vão entrar nessa sintonia e prepara o lançamento do selo Olímpico. A exemplo da Copa, todos querem surfar na onda das Olimpíadas do Rio, em 2016.
Todos juntos
O Marco Regulatório das Ongs, aprovado na Câmara, é de autoria do vice de Aécio Neves, Aloysio Nunes (PSDB). No Senado, foi relatado por Rodrigo Rollemberg (PSB). O projeto será agora sancionado pela presidente Dilma (PT).
Remando contra a maré
Com 4% no Datafolha, o Pastor Everaldo (PSC) aposta no voto evangélico para crescer. Mas a vice de Eduardo Campos (PSB), Marina Silva, é forte concorrente nesse eleitorado. Além disso, o PSC não tem estrutura. Outra candidatura nanica, a do ex-governador Cristovam Buarque (PDT), por exemplo, patinou nos 2,64% dos votos em 2006.
O parâmetro
A candidata do PSOL, Luciana Genro, não quer repetir Plínio de Arruda Sampaio. Ele fez 0,87% dos votos para presidente em 2010. Seu sonho é chegar aos 6,85%, percentual de Heloísa Helena em 2006. Hoje, Luciana tem 1% no Datafolha.
O peso dos nanicos
Cautela na oposição com o desempenho dos sete nanicos na sucessão presidencial. Em 2010, seis candidatos nanicos fizeram 1,18% dos votos. Em 2006, cinco nanicos, incluindo Heloísa Helena e Cristovam Buarque, chegaram a 9,74% dos votos.
O ministro Aloizio Mercadante pede para registrar que sempre foi favorável à presidente Dilma entregar a taça para o campeão da Copa.
Ilimar Franco 3.7.2014 11h20m
          A presidente Dilma pediu ao vice Michel Temer indicar o novo vice-presidente Corporativo da CEF. O cargo era ocupado pelo presidente do PTB, Benito Gama, que deixou a função para concorrer à Câmara dos Deputados. O PMDB propôs um nome de carreira, o Superintendente da Regional Norte do Espírito Santo, Antônio Carlos Ferreira. A nomeação sai nos próximos dias.

Guerra no PT do Rio
Os candidatos a deputado federal pelo PT do Rio estão fazendo críticas nos bastidores ao presidente do partido, Washington Quaquá. Eles não se conformam com a decisão de dar 30% do tempo de TV, dos candidatos à Câmara, para Benedita da Silva. O argumento é o de que ela é puxadora de votos. Mas o mesmo critério não valeu para dividir o tempo de TV dos candidatos à Assembleia. O tempo será igual para todos, inclusive o da mulher do presidente do partido, Rosângela Zeidan. Os petistas dizem que o acordo, entre Quaquá e Benedita, foi firmado quando Benedita desistiu de disputar o segundo turno nas eleições internas do partido.
O Serra remou contra a corrente (2010). O Lula bem avaliado e a Dilma surfando na onda. Agora é diferente. O governo mal avaliado e há desejo de mudança

Aloysio Nunes Ferreira
Senador (PSDB-SP) e candidato a vice na chapa de Aécio Neves
Queda de braço
O ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, venceu a disputa interna contra a SECOM e o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil). Eles eram contra a presidente Dilma ir ao Maracanã, dia 13, no final da Copa, entregar a taça ao time campeão.

Traje de bom moço
Irritação no governo com Jerôme Valcke (Fifa) por sua fala sobre o consumo de álcool nos estádios. A pergunta: Como ele pôde ver e se espantar? O carro que o leva aos estádios lhe deixa na porta do elevador da área VIP. Nesta, bancado pela Fifa, é farto e gratuito o consumo de cerveja, vinho e prosecco. E a venda de cerveja para a torcida é chancelada pela entidade, que administra as arenas na Copa.
Rastreando o dinheiro
Os documentos apreendidos na terça-feira com João Procópio, laranja do doleiro Alberto Yousseff, mostram movimentações financeiras feitas em dois bancos privados estrangeiros. Um deles, português, não atua no mercado de varejo.
Em banho-maria
O governo está preocupado em aprovar, no Congresso, o acordo com a Polícia Federal, de reajuste escalonado de 15,8%. A proposta foi enviada como crédito adicional à LDO e depois como MP. A redução do ritmo de trabalho do Congresso, com a Copa do Mundo e as eleições, estão reduzindo o quorum e segurando votações.
Expectativa de um salto
O comando da campanha do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) espera um forte crescimento nas pesquisas. Avaliam que há grande identidade entre ele e os 8% de eleitores que estavam com o vereador Cesar Maia (DEM).
O peso eleitoral
Estrategistas calculam que os programas de TV influenciam o voto de 40% dos eleitores. Os debates são relevantes para 30% e as coligações estaduais para apenas 15%. Há outros 15%, o não voto, que são impermeáveis a qualquer variável.
Os aeroportos têm passado no teste da Copa. O fluxo de passageiros tem batido recordes e chegou a 528 mil na véspera do jogo entre Brasil e Chile.
Ilimar Franco 2.7.2014 10h53m
          Assessores da cozinha da presidente Dilma estão criticando a falta de inciativa jurídica do PT. Enquanto a oposição tucana vive de representações no TSE contra o governo Dilma, os petistas são muito comedidos. No entorno da presidente o que se diz é que o time de Aécio Neves ganha de goleada. Ocorre que cada ação gera um fato. O Planalto mandou o PT entrar nessa guerra.
Colocando ordem na casa
O governo Dilma produziu uma cartilha de 36 páginas sobre tudo o que não pode na área de comunicação no período eleitoral, que começa no domingo. A Secom e a AGU produziram as “Condutas vedadas aos agentes públicos federais em eleições”. Algumas dicas: suspender o uso de logomarcas do governo; cautela ao informar e divulgar ações dos ministérios; exclusão de fotos de autoridades; retirar vídeos e notícias que possam ter cunho eleitoral; evitar press-release que possa beneficiar candidatos do governo (uso da máquina); e, para manter textos e vídeos já publicados, ou novos (Youtube), recomenda cautela e a exclusão da marca do governo federal.
Se tempo na TV resolvesse a eleição, em 1989 o Doutor Ulysses Guimarães tinha sido eleito presidente da República e não o Fernando Collor

Roberto Amaral
Vice-presidente do PSB, sobre o fato do candidato do PSB ao Planalto ter apenas cerca de 2 minutos na TV
Fim do cafezinho
O programa de rádio “Café com a Presidente" não será mais veiculado. Sua manutenção implicaria em uso da máquina para propaganda eleitoral de candidato. O “Café” vai ao ar às segundas-feiras.

A estrela
Na área reservada às autoridades, ontem no Itaquerão (SP), uma delas se aproximou de Cafu e disparou: “Tem vaga para você no time do Brasil”. O capitão da seleção em 2002, que ergueu a taça quando o Brasil ganhou sua quinta Copa do Mundo, concordou e completou: “Tem vaga para mim em um monte de times que joga nesta Copa”.
Nas alturas
Uma pesquisa preliminar do Ministério do Turismo mostra que os viajantes estão satisfeitos com os aeroportos. Ela revela que 80% dos ouvidos consideram bons os aeroportos, 16% avaliam como razoáveis e 4%, como ruins.
Não vem que não tem
Uma funcionária da Fifa tentou ontem, no Itaquerão (SP), tirar da área VIP, a Secretária Nacional de Justiça, Regina Miki. Ela tinha uma credencial de trabalho e assistia de pé ao jogo. Apesar disso, ela permaneceu onde estava. Um policial federal bancou sua presença e ainda ofereceu uma cadeira para ela assistir à partida.
Área VIP
Inspirado em São Paulo, o governo de Brasília vai abrigar os argentinos e seus motorhomes no parque de exposições da Granja do Torto. Para os que não tiverem ingresso, haverá um telão no local para assistir Argentina x Bélgica.
Correndo contra o relógio
O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PSD-SP), quer o processo contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA) concluído antes de 9 de setembro, para no caso de condenação ele ficar inelegível nas eleições de outubro.
O PT não vai intervir na Paraíba, onde os petistas fecharam com o governador Ricardo Coutinho (PSB) ao invés do senador Vital do Rego (PMDB).
Ilimar Franco 1.7.2014 11h34m
          O comando da campanha do PSB está impressionado com o determinismo dos adversários. Sobre eventual frustração com Marina Silva, explicam que o eleitor não sabe nem que Eduardo Campos é candidato. Eles ironizam, dizendo que ‘para alguns a eleição se acabou’. Mas que, para o povo, ela não começou. E alertam: ninguém vai para o segundo turno ou ganha o pleito no tapetão.

Todos são culpados
Apontados como problemas nacionais de constante avaliação negativa, as gestões da Saúde e da Educação não têm, há muitas eleições, peso eleitoral decisivo. Especialistas avaliam que, salvo em casos especiais, isso ocorre porque todas as forças que governam o país pagam esta conta. A gestão das áreas é compartilhada. A União, os estados e os municípios metem a mão, e, na hora de pagar a conta, cada um arca com uma parcela. Na Educação, a União investe 18% dos recursos, os Estados 25% e os Municípios 25%. Na Saúde, são 10% da União, 12% dos Estados e 15% dos Municípios. Estas são as áreas que mais recebem recursos públicos, mas o déficit é permanente.
Na convenção do partido, o que o (Jorge) Picciani me disse, foi: sempre estivemos juntos e, passadas estas eleições, voltaremos a estar juntos

Michel Temer
Vice-Presidente, contestando versão de Picciani sobre diálogo que tiveram na convenção do PMDB
Capitania hereditária
O diretor-geral do DNOCS, Emerson Daniel Júnior, deixou o cargo para assumir a presidência das Docas do Rio Grande do Norte. O presidente da Câmara, Henrique Alves, que o havia indicado também fez o sucessor: Walter Gomes de Sousa.

Vira casaca
Ontem foi a vez do presidente do PP paulista, Paulo Maluf, mudar de candidato para o governo paulista. Depois de posar ao lado de Alexandre Padilha (PT) ele aderiu a Paulo Skaf (PMDB). Antes dele, quem fez o mesmo foi o presidente do PTB, Benito Gama. Este, depois de tirar foto com a presidente Dilma, está apoiando Aécio Neves.
Missão impossível
O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), baixou ontem em São Paulo. Ele fez o que pode para impedir que o partido adotasse Paulo Skaf (PMDB) e desse adeus à aliança com o candidato Alexandre Padilha (PT).
Constatação
A expectativa de que os protestos comandassem o espetáculo na Copa, em detrimento do futebol, se dissipou. As manifestações, até agora, se restringiram a atos esvaziados. E, agora, a Polícia Militar não está dando mole. Mas resta uma indagação: Qual será a reação dos torcedores brasileiros no caso do Brasil não vencer a Copa?
Bate e assopra
A Comissão Nacional da Verdade divulga nota hoje reprovando o resultado da sindicância das Forças Armadas sobre tortura em sete unidades militares. Apesar disso, a Comissão não quer romper sua relação com o Ministério da Defesa.
De volta ao passado
Sobre a eleição para a prefeitura do Rio em 2004, o candidato do PT, Jorge Bittar, nega ter feito transferência de recursos para o PTB. A despeito de declarações de Roberto Jefferson, lembra que nenhuma investigação comprovou nada.
O Planalto confirmou que a presidente Dilma vai ao Maracanã, dia 13, entregar a taça de campeão da Copa. Ela não sabia do convite quando negou.
Ilimar Franco 29.6.2014 11h12m
          Os presidenciáveis ainda não explicitaram suas relações com a imprensa. Nos EUA, os porta-vozes da Casa Branca e do Departamento de Estado (Itamaraty) concedem briefings diários. O “pool” de jornalistas credenciados viaja no Air Force One com o presidente Barack Obama, tanto nas viagens internacionais quanto nacionais. Nesse caso, o porta-voz conversa com os jornalistas e responde às perguntas à bordo.
A luta pela transparência
Ao contrário de um presidente brasileiro, o americano não faz segredo dos seus discursos. Antes deles serem feitos, há um briefing relatando os tópicos de sua mensagem para todos. Lá, como aqui, há um controle considerado excessivo da imagem do presidente. Geram crises a proibição para registrar eventos e encontros (como o de Obama com Hilary Clinton neste mês). Outra ocorreu em dezembro, quando fotógrafos e cinegrafistas não puderam registrar a viagem, no Air Force One, de Obama e seu antecessor George W. Bush. Uma foto oficial foi distribuída. Obama, a exemplo dos governantes petistas, também aposta na comunicação direta, via redes sociais.
Michel, jamais vou trair você e a presidente Dilma. O espaço é de vocês. Me telefona quando você quiser vir aqui. Vou dizer isso à presidente

Luiz Fernando Pezão
Governador do Rio e candidato à reeleição (PMDB), para o vice Michel Temer, pelo telefone, na noite de quarta-feira
Na convenção do PCdoB
O dirigente Haroldo Lima diz ao ministro Aldo Rebelo (Esportes): “Você desapareceu do noticiário”. Bem-humorado, Aldo responde: “Ainda bem. É porque está tudo dando certo. Do contrário, estava todo mundo atrás de mim”.

Bem na fita
Dilma Rousseff anuncia na terça pacote elaborado pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, para produtoras de audiovisual. De olho na simpatia de artistas durante sua campanha, Dilma irá liberar quase R$ 1 bilhão para custear desde infraestrutura para sets, até à finalização. Projetos para seriados, documentários e ficções poderão pleitear a verba.
Grau de satisfação
Na pesquisa do Ministério do Turismo, com 4 mil viajantes, os itens melhor avaliados foram opções de turismo e lazer; atendimento e receptividade; e segurança. Todos acima de 50% de aprovação. Os piores: limpeza, aeroportos e hospedagem.
Segurança em caso de clonagem
O BB vai lançar um cartão de crédito virtual, sem o cartão de plástico. Ele será vinculado à conta corrente e poderá ser encerrado quando o cliente quiser. A ideia é dar mais segurança nas compras em sites no qual o usuário não confia. No caso de clonagem, o correntista cancela o virtual e segue usando o cartão físico para compras de débito.
Recompensa
O Planalto mapeou os cargos que o PTB tem no segundo escalão, mas decidiu não demitir todos. Aqueles ligados à ala pró Dilma no partido serão mantidos, na expectativa de que façam campanha para a presidente em seus estados.
A história se repete?
A reviravolta no PTB, que trocou Dilma (PT) por Aécio (PSDB), não é novidade no partido. Em 2004, no pleito para a prefeitura do Rio, o PTB trocou Cesar Maia (DEM) por Jorge Bittar (PT). O PTB recebeu uma mesada de R$ 4 milhões.
Pânico. Tudo o que a PM de Brasília não quer é uma quarta-de-final, no dia 5, entre a Argentina e os EUA. Temem protestos contra os ianques.
Ilimar Franco 28.6.2014 9h58m
          Os candidatos a presidente fazem discursos genéricos pela reforma tributária. Mas não assumem compromissos reais. Eles (do PT, do PSDB e do PSB), dizem especialistas, não querem de fato reduzir as receitas da União. Sua arrecadação tributária pulou de 66% do PIB, em 1995, para 68,3%, em 2006. A dos Estados caiu de 28,6% para 26%. Os governos FH e Lula jogaram na mesma direção.
‘É dando que se recebe’ federativo
O histórico da concentração das receitas pela União, desde a Constituição de 1988, consta de estudos acadêmicos do senador Francisco Dornelles (O Sistema Tributário da Constituição de 1988) e do advogado Flávio Tonelli Vaz (O ajuste fiscal efetivado no decorrer do Plano Real e suas repercussões na autonomia federativa). Não há inocentes. Ela foi praticada por Collor, Itamar, FH, Lula (com aval do PSB) e Dilma. Enquanto governadores e prefeitos se omitiram. Em texto do final do governo Lula, Dornelles foi taxativo: "União, Estados e Municípios atuam de forma concorrente em diversas áreas. A presença de órgãos federais e estaduais se chocam e, até, se anulam. A União se mantém habituada à antiga realidade, continua incapaz de absorver a alteração ocorrida (na Constituição de 1988) e voltou a aumentar seu campo de ação".
É até compreensível que a União resista em omitir sua presença em estados e municípios, até porque isso implica perda de poder político

Francisco Dornelles
Senador (RJ) e presidente de Honra do PP
PT larga PMDB e se une ao PSB
Crise na Paraíba. Os petistas abandonaram a candidatura de Veneziano Vital do Rêgo (PMDB). Aderiram ao governador Ricardo Coutinho (PSB). O petista Lucélio Cartaxo, irmão do prefeito de João Pessoa, Luciano, será candidato ao Senado.

A China vem aí
A presidente Dilma receberá no dia 17 de julho, com honras de chefe de Estado, o presidente da China, Xi Jinping. Pela primeira vez no Brasil, Jinping virá para as comemorações dos 40 anos de relações bilaterais entre as duas nações. Em 1974, ainda na ditadura militar, o Brasil reconheceu oficialmente a República Popular da China.
Redução dos danos
Os setores de inteligência da Polícia Federal e da Polícia Militar de Minas estão trocando informações sobre o falsário de Belo Horizonte que está vendendo ingressos para a final da Copa. A tarefa de localizar o golpista está com a PM.
Meirelles, o candidato ao Senado
Henrique Meirelles (ex-presidente do BC) será candidato ao Senado pelo PSD de São Paulo. Ele aceitou convite feito ontem pelo candidato do PMDB ao governo, Paulo Skaf. Sobre o fato do PSD abandonar os tucanos paulistas, o presidente do partido, Gilberto Kassab, justifica: “O paulista quer mudança e o Skaf ocupou o espaço da renovação”.
Na lista de espera
O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, candidato ao governo do Ceará, está esperando pelo PSDB nacional para fechar a chapa. Seu candidato ao Senado, o ex-governador Tasso Jereissati, pode ser o vice de Aécio Neves.
Pendurou as chuteiras
O general G. Dias, da segurança do ex-presidente Lula, saiu do Planalto. Ele virou assessor da Secretaria de Assuntos Estratégicos, mas brigou com a secretária-executiva Suzane Dieckmann. or isso, pediu afastamento e vai se aposentar.
Ex-presidente da UNE Daniel Iliescu vai estrear nas urnas em outubro. Ele vai disputar uma vaga de deputado estadual no Rio pelo PCdoB.
Ilimar Franco 27.6.2014 15h02m
          A Copa de futebol no Brasil, 15 dias após seus início, já é um sucesso nas Redes Sociais do mundo inteiro. Os dados oficiais do Twitter mostram que a Copa gerou 160 milhões de tweets, 10 milhões a mais que o de toda as Olimpíadas de Londres. O jogo de abertura entre Brasil e Croácia foi o campeão da primeira fase, com 12,2 milhões de Tweets durante a transmissão da partida.

No Facebook não é diferente. A Copa já bateu todos os recordes de interação considerando todos os eventos monitorados até hoje. Na primeira semana, 141 milhões de pessoas comentaram sobre os jogos e a competição, somando um total de 459 milhões de interações, entre posts, comentários e curtidas. Em  uma semana, mais pessoas conversaram sobre a Copa no Facebook do que no Super Bowl americano , no Oscar e nas Olimpíadas de Inverno de Sochi juntos.

Os números completos:
1. Na Copa (de 12 a 18 de junho): 141 milhões de pessoas e 459 milhões de interações (posts, comentários e curtidas).
2. No Super Bowl americano (no dia 2 de fevereiro): 50 milhões de pessoas e 185 milhões de interações.
3. Nos Jogos de Sochi (de 6 a 23 de fevereiro): 45 milhões de pessoas e 120 milhões de interações.
4. Na entrega do Oscar (no dia 2 de março): 11,3 milhões pessoas e 25,4 milhões de interações.

A estreia do Brasil na Copa foi um sucesso de público nas Redes Sociais. No dia 12 de junho, contra a Croácia no Itaquerão (SP), 58 milhões de pessoas comentaram, postaram fotos e falaram sobre o jogo da seleção brasileira. Essas pessoas geraram 140 milhões de interações (fotos, posts sobre o jogo na TV e curtidas) durante a partida. Uma em cada três pessoas que entraram no Facebook, durante a peleja, se referiram à disputa. Esse número é cinco vezes maior ao registrado na cerimônia do Oscar deste ano: 11,3 milhões de pessoas e 25,4 milhões de comentários/fotos/posts.

Os números no Brasil também impressionam. No país sede da Copa, 16 milhões de pessoas falaram sobre o jogo nas primeiras horas após a partida. Entre os brasileiros foram 40 milhões de interações (fotos, posts sobre o jogo na TV, e curtidas). Isso é 28,5% do total de interações sobre a partida. E que um em cada três brasileiros, que usaram o Facebook durante o jogo entre Brasil e Croácia, fizeram interações a respeito do que ocorreu dentro das quatro linhas.
Os dados foram fornecidos ao Ministério dos Esportes pelo Twitter e pelo Facebook.
Ilimar Franco 27.6.2014 11h26m
          Um senhor que se diz José Osório Júnior está aplicando, via Facebook, o golpe da venda de ingressos para a final da Copa. Procurado, ele diz por telefone que o pai morreu e, por isso, está vendendo o ingresso. O comprador faz depósito em conta e dança. A grana entra em sua conta corrente na agência do BB do BH Shopping. Ele saca de imediato. O banco está bloqueando a conta e, acionada por um lesado, a PF de Minas está atrás dele.
Apesar do apoio, o rolo continua
O novo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, não é o nome dos sonhos do PR para substituir o ex-ministro César Borges. O partido engoliu a nomeação de Passos em julho de 2011 e não se cansou até conseguir sua cabeça em abril de 2013. Por isso, sua renomeação é interpretada como sendo a de um ministro tampão. Após as eleições de outubro, se a presidente Dilma vencer, o partido pretende indicar outro ministro. Além disso, o Planalto espera novas pressões para substituir o general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, que desde que assumiu o comando do Dnit tirou o órgão do noticiário policial. A luta continua, mas o PR fechou com a reeleição da presidente Dilma.
O Serra puxa o Aécio. Não sei como há gente no PSDB que não percebe que ele é o melhor vice

Saulo Queiroz
Secretário-geral do PSD, partido que apóia a reeleição da presidente Dilma
A chapa Alckmin / Kassab
O presidente do PSD e ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab será candidato ao Senado na chapa do governador Geraldo Alckmin. As negociações com o PSDB se encerraram ontem. Na manhã de hoje será feito o anúncio oficial.

Só falta o Serra
É intensa a pressão para que José Serra seja o vice de Aécio Neves (PSDB). O secretário-geral do PSD, Saulo Queiroz, não entende a resistência dos tucanos. Ele cita pesquisa feita no Paraná, na qual, com Serra na chapa, Aécio tem um incremento de sete pontos nas intenções de voto. Lembra que não dá para desprezar quem fez 44% dos votos em 2010.
Contando vantagem
O ministro Luiz Alberto Figueiredo (Itamaraty) anda envaidecido com a avaliação da Copa feita por autoridades estrangeiras. Conta que uma delas, europeia, disse que em seu país não havia estádio tão bonito quanto os brasileiros.
Não foi bem assim
A Comissão da Verdade do Rio vai contestar sindicância do Ministério da Defesa afirmando que não houve tortura em sete instalações militares no estado. Para sustentar a queixa, segundo Wadih Damous, será apresentado atestado de óbito de Gerson Theodoro de Oliveira, morto em 22/03/1971, na rua Barão de Mesquita (425), endereço do DOI/Codi do Rio. Juntando os pedaços
Um dia após a reunião dos Brics em Fortaleza (15/7), o Brasil está organizando um encontro destes com a Unasul. Os países dos dois blocos têm relações bilaterais entre si, mas nunca fizeram um encontro multilateral de concertação política.
A omissão
Com um samba candente na trilha sonora, o PPS ocupou rede de TV na noite de ontem. Produzido por Jorge Oliveira, o programa prega mudanças e critica a Copa. E, em nenhum momento, fez qualquer citação ao candidato Eduardo Campos.
Torcida. Dizem no Planalto, e na direção do PP, que a ação da ala dissidente no TSE não preocupa. O PP deliberou, via Executiva, apoio à reeleição.
Páginas: 1  2  3  4 
Publicidade

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial