terça-feira, 1 de julho de 2014

Ilimar Franco  
 
1.7.2014 11h34m
          O comando da campanha do PSB está impressionado com o determinismo dos adversários. Sobre eventual frustração com Marina Silva, explicam que o eleitor não sabe nem que Eduardo Campos é candidato. Eles ironizam, dizendo que ‘para alguns a eleição se acabou’. Mas que, para o povo, ela não começou. E alertam: ninguém vai para o segundo turno ou ganha o pleito no tapetão.

Todos são culpados
Apontados como problemas nacionais de constante avaliação negativa, as gestões da Saúde e da Educação não têm, há muitas eleições, peso eleitoral decisivo. Especialistas avaliam que, salvo em casos especiais, isso ocorre porque todas as forças que governam o país pagam esta conta. A gestão das áreas é compartilhada. A União, os estados e os municípios metem a mão, e, na hora de pagar a conta, cada um arca com uma parcela. Na Educação, a União investe 18% dos recursos, os Estados 25% e os Municípios 25%. Na Saúde, são 10% da União, 12% dos Estados e 15% dos Municípios. Estas são as áreas que mais recebem recursos públicos, mas o déficit é permanente.

Na convenção do partido, o que o (Jorge) Picciani me disse, foi: sempre estivemos juntos e, passadas estas eleições, voltaremos a estar juntos
Michel Temer
Vice-Presidente, contestando versão de Picciani sobre diálogo que tiveram na convenção do PMDB

Capitania hereditária
O diretor-geral do DNOCS, Emerson Daniel Júnior, deixou o cargo para assumir a presidência das Docas do Rio Grande do Norte. O presidente da Câmara, Henrique Alves, que o havia indicado também fez o sucessor: Walter Gomes de Sousa.


Vira casaca
Ontem foi a vez do presidente do PP paulista, Paulo Maluf, mudar de candidato para o governo paulista. Depois de posar ao lado de Alexandre Padilha (PT) ele aderiu a Paulo Skaf (PMDB). Antes dele, quem fez o mesmo foi o presidente do PTB, Benito Gama. Este, depois de tirar foto com a presidente Dilma, está apoiando Aécio Neves.

Missão impossível
O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), baixou ontem em São Paulo. Ele fez o que pode para impedir que o partido adotasse Paulo Skaf (PMDB) e desse adeus à aliança com o candidato Alexandre Padilha (PT).

Constatação
A expectativa de que os protestos comandassem o espetáculo na Copa, em detrimento do futebol, se dissipou. As manifestações, até agora, se restringiram a atos esvaziados. E, agora, a Polícia Militar não está dando mole. Mas resta uma indagação: Qual será a reação dos torcedores brasileiros no caso do Brasil não vencer a Copa?

Bate e assopra
A Comissão Nacional da Verdade divulga nota hoje reprovando o resultado da sindicância das Forças Armadas sobre tortura em sete unidades militares. Apesar disso, a Comissão não quer romper sua relação com o Ministério da Defesa.

De volta ao passado
Sobre a eleição para a prefeitura do Rio em 2004, o candidato do PT, Jorge Bittar, nega ter feito transferência de recursos para o PTB. A despeito de declarações de Roberto Jefferson, lembra que nenhuma investigação comprovou nada.

O Planalto confirmou que a presidente Dilma vai ao Maracanã, dia 13, entregar a taça de campeão da Copa. Ela não sabia do convite quando negou.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial