sábado, 7 de março de 2015

Panorama Político (07) A política como ela é: nua e crua - Ilimar Franco

Ilimar Franco 7.3.2015 8h15m
Os políticos que serão investigados já se sentem condenados. Alguns avaliam que, com esse clima, “vão botar todo mundo na cadeia”. Reconhecem que será um calvário convencer, por exemplo, que há diferença entre corrupção e doação eleitoral. Baseados na experiência do mensalão, sabem que estão sós, pois não podem contar para se defender nem com governos nem partidos. “Vai ser punk”, resumiu um dos investigados.
Afinados
O Planalto nunca apostou numa discrepância de posições entre o ministro do STF Teori Zavascki e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Seus estrategistas sempre acreditaram que eles jogariam juntos e que evitariam divergir quanto à lista dos que seriam investigados. A decisão de não promover nenhuma denúncia facilitaria este acordo tácito. Os mais próximos da presidente Dilma avaliam que qualquer descompasso poderia levá-los a enfrentar a incompreensão ou a ira da opinião pública. Isso poderia ocorrer, no caso de Janot pedir para investigar “x” envolvidos e Teori não autorizar todos eles. “Os dois acabariam no pelourinho”, resumiu um ministro.

“A CPI pode virar carnaval, com blocos para todos os lados. Não podemos agir para agradar ao nosso público. A maior torcida do país é a de quem não tem time”

Luiz Sérgio
Relator da CPI da Petrobras na Câmara (PT-RJ)

Desabafo
Petistas que estão na lista de Janot não esperam a solidariedade do governo Dilma nem do PT. Um senador resumiu: “O Planalto não faz nada por ninguém”. E, um ministro complementou: “O partido não quer saber de coisa alguma”..


O ministro
Excluído da lista, o ex-presidente da Câmara Henrique Alves era tratado ontem como ministro por dirigentes do PT e do PMDB. A expectativa é que ele seja anunciado como novo titular do Turismo. Petistas defendiam sua presença no comando político do governo por sua ligação com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e os demais deputados .

No contrapé
Os tucanos eram os mais irados, ontem, com a inclusão do senador Antonio Anastasia na lista Janot. Outros partidos esperavam o pelourinho. O PSDB mineiro terá de aparar esta aresta antes de ir para cima do governador Fernando Pimentel.

Foi para o espaço
A lista Janot implodiu o PP. São 49 os que serão investigados no STF. Destes, 32 são filiados ao partido e 21 com mandato no Congresso. Há pepistas para todos os gostos: éticos e não éticos, do governo e da oposição. Os números mostram que que o afilhado, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, era seu operador político.

Delação não é prova
Dirigentes partidários e advogados que leram a manifestação do ministro Teori Zavascki (STF) concluíram que os inquéritos abertos terão de percorrer um longo caminho até sua conclusão.

‘É a lista, estúpido’
O desacerto com o PMDB, o jeitão da presidente Dilma, a capacidade dos operadores do Planalto, segundo o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT), não explicam o caos. Para ele, “a tal lista virou a cabeça do Congresso para baixo”.

A presidente Dilma vem ao Rio na quarta-feira para, junto com o setor privado, anunciar R$ 978 milhões de investimentos no Porto do Futuro.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial