sexta-feira, 15 de maio de 2015

PSDB rejeita legado de FH
ILIMAR FRANCO
14.5.2015 9h36m
Criadores do fator previdenciário, no governo FH, os tucanos votaram para mudar as regras adotadas para sanear as finanças públicas. Dilma não é a única que fala uma coisa e faz outra. Ao defender o fim do fator, o PSDB teve a mesma conduta. Jogam para a plateia as principais siglas do país. Não há coerência programática. O PT agora foi contra as mudanças. Os 45 deputados tucanos votaram “sim”. Foi uma grande derrota para o governo.

Já estou com o pé nesta estrada
Dos oito deputados do DEM que votaram com o governo, semana passada, na MP 665, quatro podem não ter sido convertidos. Hoje, o líder do DEM, Mendonça Filho, anunciou que a dissidência tinha sido reduzida a quatro. Mas os outros (Carlos Melles, Elmar Nascimento, Misael Varella e Paulo Aziz) integram uma lista de 13 deputados que estão em missão no exterior. As viagens já estavam agendadas e aprovadas pela Mesa da Casa. Eles estão nos Estados Unidos, em Londres, na Alemanha, no Panamá e em Portugal. Um deles, o ex-ministro Carlos Melles, participou do jantar em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em Nova Iorque.

“Estamos à disposição da presidente. Os cargos já são dela mesmo. Cabe a ela decidir sobre nossa presença no governo. O PDT não muda de posição” 

Carlos Lupi
Presidente do PDT, sobre os votos contra de sua bancada na Câmara às MPs 664 e 665

Porta aberta
A deputada Luiza Erundina (SP) deve sair do PSB devido à fusão com o PPS. Ela discorda do flerte com a oposição. O ex-presidente socialista no Rio deputado Glauber Rocha vai no mesmo rumo. E diz que a sigla está virando “satélite do PSDB”.



Um novo Brasil
Para investidores em Londres, o ministro Joaquim Levy (Fazenda) explicou que o país tem uma herança histórica, o patrimonialismo. Por isso, os programas de governo custam caro à União e inibem a concorrência, ao contrário dos países mais desenvolvidos. E concluiu que a correção de rumo não exclui os programas de inclusão social.

Na reta de chegada
Nos próximos dias está para ser definida a fusão PTB-DEM. A única pendência é a disputa pelo comando da sigla, em São Paulo, entre Campos Machado, presidente do PTB, e o secretário do governo Alckmin, Rodrigo Garcia (DEM).

Se a moda pega
A Assembleia do Espírito Santo aprovou PEC que proíbe o uso de logomarcas, slogans, cores, frases e símbolos que possam ser vinculados a uma determinada gestão. Ela não permite a fixação de imagens do chefe de Poder em repartições públicas. A proposta do governador Paulo Hartung (PMDB) será promulgada na Assembleia.

Pânico
As entidades de construção civil convenceram o presidente da Câmara a adiar a votação de projeto que melhora a remuneração das contas vinculadas ao FGTS. Alegam que o aumento de 3% para 6% vai consumir os recursos do Minha Casa Minha Vida.

Em campanha
Com a infidelidade do PDT nas MPs 664 e 665, o PT, a CUT e aliados à esquerda defendem a demissão do ministro Manoel Dias da pasta do Trabalho. Alguns petistas sugerem que Vagner Freitas, presidente da CUT, assuma o cargo.

O ex-presidente Lula programou vir a Brasília hoje. A prioridade de sua agenda é conversar com o presidente do Senado, Renan 

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial