sexta-feira, 8 de maio de 2015

  7.5.2015 11h35m

 A bancada do PT na Câmara fez água na votação da MP 665. A bancada do partido na Câmara fechou questão, mas 14 de seus deputados deixaram de votar com o governo Dilma. Um deles votou contra: Weliton Prado, de  Minas. Mas o número de ausentes foi oito: Assis do Couto (PR), Erika Kokay (DF), Luizziane Lins (CE), Marcon (RS), Padre João (MG), Pedro Uczai (RS), Professora Malcivânia (AP) e Ságuas Moraes (MT). A falta de apoio desses está sendo chamada de "não" pelos principais aliados.
Eles também criticam, sobretudo no PMDB, o fato de não terem reassumido seus mandatos, para votar, os petistas que ocupam cargos em secretarias estaduais e Ministérios. Ontem, não havia nada mais importante para qualquer petista fazer do que votar, e aprovar, a primeira medida do Ajuste Fiscal.
Adotando como parâmetro o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), quando isso era prática corrente nas votações mais importantes, peemedebistas avaliam que isso deveria ocorrer no governo Dilma. Os aliados esperam que os petistas não fujam, pela ausência ou pela licença, na votação da MP 664.
O coordenador político do governo, o vice Michel Temer (PMDB), teve papel importante na vitória por apenas 25 votos (252 x 227). No café da manhã de ontem, conseguiu que o PV não fechasse questão. A bancada tem oito votos e três votaram sim, entre eles o filho do ex-presidente Sarney, Sarney Filho. Ao meio dia, em almoço com deputados e o prefeito de Salvador, ACM Neto, garantiu o apoio de oito dos 22 deputados do DEM.
Os articuladores do Planalto registraram que mesmo tendo o poderoso Ministério da Integração, 18 dos 39 deputados do PP votaram contra a MP 665. E, mesmo tendo o Ministério do Trabalho, os 19 do PDT votaram contra o Planalto. No caso do PMDB, onde foram 13 votos não e 64 sim, seus líderes comemoram que 80% do partido votou com o governo. Dizem que o normal seria obter 60% dos votos.
Mas há também no governo quem minimize os desfalques. Explicam que um governo precisa ter uma base ampla, pois nunca poderá contar com todos em todas as votações.
----
Lista dos petistas licenciados: Josias Gomes (BA); Miguel Junior (MG); Nelson Pellegrino (BA); Nilmário Miranda (MG); Odair Cunha (MG); Rejane Dias (PI); Pepe Vargas (RS) e Secretário de Direitos Humanos; e, Patrus Ananias, Ministro do Desenvolvimentos Agrário .  

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial